RBR falha; Alonso se aproxima do tri

Publicado: 24/10/2010 em Fórmula 1

Alonso: 5ª vitória em 2010; 26ª na carreira

Não podemos reclamar da primeira corrida da história da Fórmula 1 na Coreia do Sul. A 17ª etapa do Mundial 2010, em Yeongam, teve ingredientes suficientes para transformar este capítulo da luta pelo título em uma passagem inesquecível.

Para começar, o domingo (24) se manteve chuvoso durante todo o dia na região do novo autódromo asiático. Autódromo que, diga-se de passagem, não conseguiu ser concluído a tempo pelos organizadores da prova, o que quase estraga o GP.

A chuva forte que caiu na hora da largada atrasou a mesma em quase uma hora. Na verdade, três voltas foram completadas com o pelotão atrás do Safety-Car. Aí ficou constatado que a drenagem do asfalto – que recebera sua última camada a apenas 10 dias do evento – não conseguiria suportar o forte volume de água.

O jeito foi acionar a bandeira vermelha e, como a intensidade da precipitação não diminuía, até o cancelamento do GP esteve em pauta.

Mas os deuses do automobilismo não permitiram tamanho infortuito e a chuva acabou perdendo força. Quase uma hora depois, os carros voltaram à ação, com mais 13 voltas sob batuta do Safety-Car, até a bandeira verde ser acionada.

Mark Webber: ainda vivo

Três giros depois, a cara do campeonato começava a mudar, com o australiano Mark Webber cometendo um erro bobo ao passar sobre a zebra, perder o controle de seu RB6 e pranchar o muro. No retorno à pista, colheu a Mercedes de Nico Rosberg, que numa boa largada pulara para a quarta posição ao superar o britânico Lewis Hamilton. Fim de prova para ambos.

Mais três voltas de Safety-Car e nova relargada aconteceu, com Sebastian Vettel sustentando a liderança, Fernando Alonso subindo a segundo e Hamilton aparecendo em terceiro. Entre os brasileiros, Felipe Massa já aparecia em quarto, enquanto Rubens Barrichello pressionava o eterno rival Michael Schumacher pela quinta colocação.

A intensidade da chuva se manteve a mesma durante toda a prova e poucas modificações no pelotão da frente aconteceram.

Após a rodada de pit-stops – que ocorreu em novo período de Safety-Car, provocado pelo acidente entre Sebastien Buemi (STR) e Timo Glock (Virgin), na volta 31 – a Ferrari se atrapalhou na troca da roda dianteira esquerda de Alonso e Hamilton subiu para segundo. Porém, na relargada, o campeão de 2008 abriu demais na primeira curva e devolveu o posto ao bicampeão.

A corrida permaneceu morna até o acidente forte do russo Vitaly Petrov, que bateu sozinho e quebrou mais um modelo Renault R30. Sua vaga está a perigo. Sigo afirmando que gostaria de ver o alemão Nico Hulkenberg neste carro amarelo ao lado de Robert Kubica em 2011 – lógico, se a Williams cometer o erro de trocar seu talento pelos milhões de Pastor Maldonado.

Na frente, o motor Renault de Sebastian Vettel “entregou a alma” a onze voltas do fim. O alemão, que tinha tudo para sair de Yeongam como líder do certame, parte para as duas últimas provas na quarta colocação geral, 25 pontos atrás do ponteiro, Fernando Alonso, que comprovou mais uma vez que, além de vasto talento, possui muita sorte.

Lewis Hamilton terminou em segundo e segue com chances matemáticas de título, muito embora seu equipamento me pareça o mais fraco entre os concorrentes. Felipe Massa fechou o pódio, em terceiro com a outra Ferrari.

Button, apagado, respira por aparelhos

Button: fim da linha em 2010

Depois de arriscar pôr os pneus intermediários antes da hora, o atual campeão Jenson Button praticamente decretou o fim de suas chances de defender o título mundial. O britânico, que chegou a andar em quinto, terminou em 12º, preso no pelotão intermediário sem jamais ameaçar as posições de equipes medianas, como Force India, Sauber e Toro Rosso.

Jamais se encontrou no fim de semana e deixa Yeongam a 42 pontos do líder. Com 50 em disputa, é praticamente certo que Button será orientado pela McLaren para ajudar Hamilton – que leva 21 de atraso para Alonso – no Brasil e nos Emirados Árabes.

Mercedes derrota Renault no duelo pelo quarto posto

Se Red Bull, McLaren e Ferrari duelam pelo título de construtores, outra briga empolgante acontece um pouco mais abaixo na tabela. Mercedes e Renault querem o posto de quarta força da temporada. E, no duelo, a montadora alemã leva grande vantagem.

Com o quarto lugar de Michael Schumacher, o time bávaro ampliou em mais dois pontos sua vantagem, já que Robert Kubica levou seu Renault apenas em quinto. Restando duas rodadas, o placar é: Mercedes 188 x 143 Renault.

Barrichello ultrapassa Sutil na tabela

Mesmo terminando em sétimo lugar, o brasileiro Rubens Barrichello conseguiu ultrapassar o alemão Adrian Sutil pela 10ª colocação no mundial de pilotos. O alemão da Force India abandonou nas voltas finais da disputa e o time indiano viu seu outro representante, o italiano Vitantonio Liuzzi, surpreender com o sexto lugar.

O resultado deixa a Force India com 68 pontos, três a mais que a Williams na luta pelo sexto posto geral. A zona de pontuação foi completada pela dupla da Sauber – Kamui Kobayashi e Nick Heidfeld – e por Hulkenberg, na outra Williams.

Já entre os demais brasileiros, Bruno Senna conquistou o 14º lugar – seu melhor resultado na carreira. Lucas di Grassi bateu na volta 25 e abandonou. Não deve renovar com o time para 2011. Uma pena, pois tem talento.

Matemática do título

O sonho de Vettel acabou?

Fernando Alonso pode se consagrar tricampeão da Fórmula 1 na próxima etapa, em Interlagos, no Brasil. Para isto, basta vencer e torcer para Mark Webber não levar seu Red Bull ao quarto lugar.

O espanhol ainda conta com o apoio exclusivo da Ferrari, uma vez que Felipe Massa, seu companheiro, não reúne mais condições matemáticas para pleitear o título. Já na Red Bull, Vettel, 25 pontos atrás, ainda está vivo na corrida pelo título inédito e pode roubar pontos de Webber.

Some-se a isso a disputa entre a taça dos construtores. No momento, a Red Bull totaliza 426 pontos, a McLaren tem 399 e a Ferrari chegou aos 374.

A briga está aberta. E a emoção segue garantida para as duas últimas etapas do ano!

Anúncios
comentários
  1. Adalberto disse:

    Tudo o que eu não queria era ver Alonso arrogante campeão novamente… Queria o Webber com o título mas….. Resta-me torcer!

  2. stacy disse:

    makes me want to drink alchoholic beverages

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s