GP da Hungria 2010 – Corrida

Publicado: 06/08/2010 em Fórmula 1

Quarta vitória do Aussie em 2010

Tinha tudo para ser uma vitória tranquila de Sebastian Vettel. Porém, o GP da Hungria, disputado no circuito magiar de Hungaroring, neste domingo (1), acabou tendo seu curso alterado pela entrada do Safety-Car, que, mais uma vez, mudou o resultado de uma prova no mundial de 2010 da Fórmula 1.

Na largada, Vettel saltou bem da pole e se manteve em primeiro, mas Mark Webber caiu para terceiro, sendo superado por Fernando Alonso, da Ferrari. A corrida estava monótona, até que na volta 15, pedaços da Force India de Vitantonio Liuzzi, alocados entre as curvas 13 e 14, mudariam a história da 12ª etapa da temporada.

Os líderes aproveitaram para fazer seu pit e mudar o composto de pneu. Porém, a Red Bull preferiu manter Webber na pista, para que o australiano tentasse recuperar o segundo posto perdido para Alonso na largada.

Como resultado, o piloto passou para a liderança do GP, com Vettel em segundo e Alonso em terceiro. Mais atrás, Lewis Hamilton (McLaren) superou Felipe Massa pelo quarto posto durante o pit.

Na confusão das paradas simultâneas, alguns fatos bizarros aconteceram. Primeiro, um leve acidente entre Adrian Sutil (Force India) e Robet Kubica (Renault) no pit-lane. Depois, uma roda se soltou do modelo W01 da Mercedes de Nico Rosberg, atingindo um mecânico da Williams, que passa bem. O alemão abandonou.

Comemora, Mark Webber!

Com a relargada, Webber começou a abrir vantagem para seus rivais, uma vez que ainda contava com os pneus macios. A missão parecia difícil, mas os adversários acabaram por colaborar. Primeiro, Hamilton sofreu um problema no câmbio e abandonou.

Depois, Vettel foi punido por segurar demais os concorrentes antes da relargada, ajudando a Red Bull num jogo de equipe, para facilitar a vida do parceiro em abrir vantagem. A FIA considerou que o alemão ficou a uma distância imaginária de mais de 10 carros para Webber, o que é proibido.

Após cumprir um drive-through, Vettel voltou em terceiro, atrás de Alonso, mas à frente de Massa. Já Webber conseguiu fazer seu dever de casa e, quando parou para trocar os pneus, retornou na ponta e venceu com tranquilidade.

Vettel ainda tentou uma pressão em Alonso, mas teve que se contentar com o terceiro lugar. Massa, apagado, terminou em quarto.

Saiu faísca entre Barrichello e Schumacher

Já Rubens Barrichello (Williams) adotou a mesma postura de Webber e não parou no momento do Safety-Car. Assim, com a desistêcia de Hamilton na volta 25, assumiu o quinto posto. Mas nas últimas voltas teve que parar e caiu para 11º.

Assim, se viu diante da possibilidade de ultrapassar o grande rival, o alemão Michael Schumacher (Mercedes) pela última posição pontuável. Como tinha voltado com os pneus macios, estava num ritmo quase 2s mais veloz que o heptacampeão. Após se aproximar rapidamente, ultrapassou o ex-companheiro na penúltima volta, numa manobra arriscada, onde Schumacher jogou sujo e espremeu o brasileiro no muro. Ainda assim, Barrichello levou a melhor, realizando a mais bela ultrapassagem da temporada até aqui.

No fim da prova, os comissários decidiram punir Schumacher com 10 posições no grid de largada no próximo GP, na Bélgica.

Destaque também para a melhor corrida do ano do russo Vitaly Petrov. Após superar o parceiro Robert Kubica o fim de semana inteiro, o piloto da Renault terminou em quinto, à frente de Nico Hulkenberg (Williams). Os dois, antigos rivais desde o ano passado na GP2, foram os últimos na volta do líder.

Hamilton abandona: perda de liderança

No travado circuito húngaro, que se sobressaiu também foi a Sauber. Pela primeira vez pontuou com os dois carros em 2010. Pedro de la Rosa foi o sétimo e Kamui Kobayashi, o nono. Foram os primeiros seis pontos somados por De la Rosa no ano.

Entre eles, o atual campeão mundial, Jenson Button, teve uma participação tão modesta quanto sua equipe, a McLaren. O oitavo lugar foi o máximo conseguido pela equipe de Woking, que saiu da Hungria perdendo as lideranças dos mundiais de pilotos – para Webber – e de construtores – para a Red Bull.

Entre os demais brasileiros, Bruno Senna (Hispania) terminou em 17º, enquanto Lucas di Grassi (Virgin) ficou em 18º.

Restando sete etapas para o fim do ano, a luta pelo título pega fogo, com Mark Webber somando 161 pontos; Lewis Hamilton 157; Sebastian Vettel 151; Jenson Button 147 e Fernando Alonso 141.

O próximo GP acontece em Spa-Francorchamps, na Bélgica, no dia 29 de agosto.

Confira o resultado final na Hungria e a classificação atualizada:

Pos  Piloto        Equipe                     Tempo/Dif.
 1.  Webber        Red Bull-Renault           1h41:05.571
 2.  Alonso        Ferrari                    +    17.821
 3.  Vettel        Red Bull-Renault           +    19.252
 4.  Massa         Ferrari                    +    27.474
 5.  Petrov        Renault                    +  1:13.100
 6.  Hulkenberg    Williams-Cosworth          +  1:16.700
 7.  De la Rosa    Sauber-Ferrari             +  1 volta
 8.  Button        McLaren-Mercedes           +  1 volta
 9.  Kobayashi     Sauber-Ferrari             +  1 volta
10.  Barrichello   Williams-Cosworth          +  1 volta
11.  Schumacher    Mercedes                   +  1 volta
12.  Buemi         Toro Rosso-Ferrari         +  1 volta
13.  Liuzzi        Force India-Mercedes       +  1 volta
14.  Kovalainen    Lotus-Cosworth             +  3 voltas
15.  Trulli        Lotus-Cosworth             +  3 voltas
16.  Glock         Virgin-Cosworth            +  3 voltas
17.  Senna         HRT-Cosworth               +  3 voltas
18.  Di Grassi     Virgin-Cosworth            +  4 voltas
19.  Yamamoto      HRT-Cosworth               +  4 voltas

Volta mais rápida: Vettel, 1:22.362

Abandonos:

Piloto        Equipe                       Volta
Hamilton      McLaren-Mercedes             25
Kubica        Renault                      25
Rosberg       Mercedes                     17
Sutil         Force India-Mercedes         17
Alguersuari   Toro Rosso-Ferrari           2

Classificação:                

Pilotos:                    Construtores:             
 1.  Webber       161        1.  Red Bull-Renault          312
 2.  Hamilton     157        2.  McLaren-Mercedes          304
 3.  Vettel       151        3.  Ferrari                   238
 4.  Button       147        4.  Mercedes                  132
 5.  Alonso       141        5.  Renault                   106
 6.  Massa         97        6.  Force India-Mercedes       47
 7.  Rosberg       94        7.  Williams-Cosworth          40
 8.  Kubica        89        8.  Sauber-Ferrari             23
 9.  Schumacher    38        9.  Toro Rosso-Ferrari         10
10.  Sutil         35
11.  Barrichello   30
12.  Petrov        17
13.  Kobayashi     17
14.  Liuzzi        12
15.  Hulkenberg    10
16.  Buemi          7
17.  De la Rosa     6
18.  Alguersuari    3
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s