Avaliações do GP da Espanha

Publicado: 14/05/2010 em Fórmula 1

Aproveitando o dia de folga do fim de semana do GP de Mônaco, publico minhas análises dos pilotos e equipes sobre o GP da Espanha da semana passada.

Confira:

Pai de Sebastian Vettel, Norbert, e Sabine Kehm, assessora de Schumacher

1) Mark Webber: Dominador desde o sábado. Foi o mais veloz em todas as três fases da qualificação. Na corrida, largou bem e manteve o ritmo de corrida rápido e consistente. Sem erros, estava naqueles dias radiantes. Se mantiver a pegada, briga pelo título. Nota 10

2) Fernando Alonso: Achou uma boa volta no sábado e bateu Massa no duelo da Ferrari largamente. Na corrida, bastante conservador. Permaneceu todo o tempo em quarto, longe das boas brigas. Com os problemas de Vettel e Hamilton, subiu ao pódio. E em segundo. Um prêmio a ele e a apaixonada torcida espanhola. Terceira melhor volta da prova. Nota 9

3) Sebastian Vettel: Ofuscado por Webber, Vettel não foi mal. Mas sua condução agressiva, mais uma vez, deteriorou a confiabilidade do RB6, que dessa vez ficou avariado nos freio e nos pneus. No fim, um pit extra para trocar um pneu furado lhe jogou para quarto. Só mesmo o azar de Hamilton para garantir ao tedesco a última vaga no pódio. Segue candidato ao título, mas ainda não brilhou em 2010. Nota 8

4) Michael Schumacher: O alemão ressucitou com um carro inteiramente novo, mais ao seu estilo de pilotagem. Em termos, porque completou a prova mais de um minuto atrás do vencedor. Por outro lado, foi largamente superior a Nico Rosberg no duelo interno da Mercedes. A verdade é que o carro da montadora alemã não conseguiu dar o salto que Red Bull, Ferrari e McLaren deram e, por conta disso, até mesmo um pódio passa a ser uma meta complicada de se alcançar. Nota 8,5

Fernando Alonso, Pedro de la Rosa e Jaime Alguersuari: os três espanhóis da F1

5) Jenson Button: Segue líder do certame, mas com uma vantagem menor. Isso porque ficou preso atrás de Schumacher após o primeiro pit-stop. Tinha ritmo para lutar pelo pódio, mas no final acabou agradecido pelo abandono de seu parceiro de McLaren, Hamilton, abrindo mais 10 pontos frente a seu principal rival no ano. Nota 8

6) Felipe Massa: Vai ficando claro que dificilmente lutará pelo título em 2010. Seja por não se adaptar aos pneus duros, seja por que a Ferrari está mais focada em Alonso. O lado bom é que Felipe vem demonstrando cada vez mais maturidade. Não culpa o time, como fazia Rubinho na década passada. Muito menos entrou em atrito com o espanhol. Isso pode ser um trunfo para arrumar uma equipe que lhe dê mais oportunidades em 2011, de preferência sem um companheiro tão forte. Na corrida, parou atrás de Schumacher e Button após o primeiro pit. Afobado, tocou em Chandhok e quase joga fora mais alguns pontos. Caiu para sétimo no mundial. Nota 8

7) Adrian Sutil: Grata surpresa do mundial, Sutil fez mais uma grande corrida, levando seu bom Force India a sétima colocação. No sábado, não foi à SuperPole, perdendo a vaga por apenas 0,1s de Massa e Rosberg. Sua grande característica é a consistência com velocidade. Conquistou mais 6 pontos e tem a décima colocação geral no certame. Nota 9

Michael Schumacher e suas caretas

8) Robert Kubica: O polonês, assim como Sutil, fez mais uma prova honesta. Seu equipamento está longe de poder brigar por vitórias e pódios, como alguns insistem em colocar. Mas pode pontuar com freqüência e incomodar de vez em quando. Não foi o caso desta vez. Pelo menos, Kubica não tentou andar mais que o carro, não cometeu erros e somou mais quatro pontos. Nota 8

9) Rubens Barrichello: Corrida surpreendente, principalmente pela sua posição de largada. Prejudicado no sábado por um “bombardeio de brita”, lançado pelo carro de Hamilton após um despiste, Rubinho foi degolado no Q1. Partindo de 18º, pulou para 13º nas primeiras curvas e passou seu companheiro de Williams, Nico Hulkenberg. Terminou em nono, contando com o meu fim de semana de Rosberg e o abandono de Hamilton. É o que Rubens pode fazer. Aproveitou mais uma chance de pontuar. Nota 9

10) Jaime Alguersuari: Bom piloto, vem se desenvolvendo muito em 2010. Nos treinos, sempre perto de Buemi, seu parceiro na STR. Já nas corridas, vem tendo mais sorte e não sofre quebras em seu carro. Voltou a se estranhar com Chandhok, assim como na China.  Desta vez, ao colocar uma volta no indiano, fechou o traçado prematuramente e houve o toque, cansando o abandono do piloto da Hispania. Quase jogou seu ponto fora, pois acabou punido com um drive-through. Tem que controlar a afobação nessas horas. Nota 8

11) Vitaly Petrov: O russo foi bem, mas não o suficiente para pontuar. Pressionou Alguersuari pela última posição pontuável nas voltas finais. No sábado, ainda não se adaptou ao ritmo da classificação. Mais uma vez eliminado no Q2, desta vez levou meio segundo do parceiro de Renault, Robert Kubica. Oitava melhor volta da prova, apenas quatro milésimos mais lento que o polonês. Seu problema está na classificação. Punido por trocar o câmbio, foi obrigado a largar de 19º e reagiu de forma notável. Nota 7,5

12) Kamui Kobayashi: Enfim, entrou no Q3 e brigou por pontos. Mas a realidade da Sauber lembra muito a da BMW do ano passado. O toque com Kubica na largada o prejudicou, fazendo o japonês perder posições, além de, sem dúvida, desalinhar seu carro. Aos poucos, Kobayashi tenta mostrar que o talento demonstrado no final de 2009, pela Toyota, não foi obra do acaso. Nota 7

Torcida da Renault presente na Espanha

13) Nico Rosberg: O novo carro da Mercedes favorece mais Schumacher que Nico. Isso fez com que o jovem tedesco fosse superado pelo parceiro durante todo o fim de semana. Na largada, foi jogado pra grama e perdeu posições. Com um pit extra, ainda arriscou com pneus macios no final da prova, mas nada conseguiu. Deixa a vice-liderança do certame, caindo para o quinto posto. Nota 6,5

14) Lewis Hamilton: Mesmo abandonando a duas voltas do final, foi classificado em 14º. Não tinha chances contra os Red Bull, mas conseguiu superar Vettel na parada de box, ousando na disputa contra o alemão. Seria segundo colocado com muita tranqüilidade, mas o pneu dianteiro esquerdo furou e lá se foram mais 18 pontos importantes na luta pelo título. Fez a melhor volta da prova. Nota 9

15) Vitantonio Liuzzi: No sábado, tomou quatro décimos de Sutil, seu parceiro de Force India, no Q1, e quase 1s no Q2. Largou de 16º e acabou abandonando na última volta, sendo classificado em 15º. Não apareceu na prova e corre o risco de ser substituído, em breve, pelo test-driver, o escocês Paul di Resta. Nota 5

À penumbra, o Safety Car

16) Nico Hulkenberg: Foi o único a ser ultrapassado na prova, pelo seu compatriota e chara Nico Rosberg. Outro que vem apagado e não demonstra metade do talento que o consagrou como campeão da GP2 no ano passado. No duelo interno da Williams, perdeu pra Barrichello na sexta e bateu o brasileiro no sábado, em que pese o problema de Rubinho no Q2. Falando em Barrichello, também ultrapassou Nico nas primeiras voltas. Vai mal o jovem tedesco. Tem que acordar logo para não passar em branco, como mais um que ficou na promessa. Nota 5

17) Jarno Trulli: Tem o mérito de ter sido o melhor piloto entre as equipes novatas, tanto no sábado quanto no domingo. Como o companheiro de Lotus, Kovalainen, nem largou, fica difícil uma comparação mais justa. Mas, pelo menos, não atrapalhou os líderes e chegou ao final. Nota 6.

18) Timo Glock: Com o novo carro da Virgin, fez o que se esperava dele. Andou à frente de Lucas di Grassi, mas por pouca margem. A exemplo do companheiro, levou o time até o final de mais um GP, o que é sempre digno de aplausos. Nota 6.

19) Lucas di Grassi: Mesmo com o carro velho da Virgin, andou no ritmo de Glock e chegou a batê-lo em 1,5s no segundo treino de sexta. O fato de ter completado o GP a quatro voltas do líder não quer dizer nada. O mais importante foi ter recebido a quadriculada sem atrapalhar muito os ponteiros. Nota 6,5

Sir Frank Williams: incansável na batalha

20) Sebastien Buemi: Bem mais rápido que Alguersuari na sexta e no sábado, perdendo para o espanhol apenas no Q1. No entanto, segue mais azarado, com as quebras sempre acontecendo em seu carro. Desta vez, problemas hidráulicos. Incidente com De la Rosa o atrasou no GP. Tem que abrir os olhos porque, em corrida – que é o que conta – vem sendo ofuscado por Alguer. Nota 6

21) Karun Chandhok: O indiano protagonizou alguns lances bizarros na prova, como quando foi fechado, sendo retardatário, por Alguersuari. Não teve culpa, mas abandonou. Em mais um GP, dura mais tempo que o parceiro Senna, o que é um mérito. Creio que completaria a prova, não fosse o toque do espanhol da STR. No lance com Massa, não teve culpa. Karun é esforçado. Nota 5

22) Pedro de La Rosa: Foi tocado na largada e teve um furo de pneu. Com o carro desalinhado, acabou por abandonar logo depois. No sábado, namorou o Q3. O carro da Sauber é fraco, mas Pedro não vem fazendo muito para melhorar o desempenho. Esse retorno da aposentadoria não deve acrescentar em nada seu currículo. Dificilmente permanecerá como titular até o fim do ano. Filippi e Maldonado, da GP2, estão sedentos por sua vaga. Nota 4

23) Bruno Senna: Bela largada, pulando para 17º. Mas se desconcentrou e bateu logo na terceira curva. Tomou tempo de Chandhok o fim de semana inteiro. Precisa recuperar a velocidade que marcou seu vice-campeonato na GP2 em 2008. Nota 4

24) Heikki Kovalainen: Não pode ser avaliado, pois não largou. Só bateu Trulli, parceiro de Lotus, no primeiro treino de sexta. Corre o risco de cair no ostracismo e sumir da F1. Nota 3

—————————————————————————————————————————————————

Equipes:

Brendon Hartley, um dos reservas da Red Bull

1) Red Bull: Sobrou na turma. Há muito tempo não se via na F1 um carro colocar 1s no restante do pelotão. No entanto, a falta de confiabilidade ainda se mostra presente. Webber venceu e Vettel foi o terceiro. Equipe dos energéticos segue como grande favorita nos dois mundiais. Nota 9,5

2) Ferrari: Alcançou uma confiabilidade notável com a alteração dos motores autorizada pela FIA. Mas, principalmente no carro de Felipe Massa, falta performance. Alonso também não teria passado do quarto lugar. Mas Hamilton quebrou e Vettel se atrasou e a equipe italiana foi premiada com um segundo posto que não fez por merecer. Nota 8

3) Mercedes: O novo carro, que conta com um tampa de motor exótica, caiu mais ao gosto de Schumacher, que levou os prateados à quarta posição. Já Rosberg ficou pra trás. Ainda assim, o alemão mais famoso chegou um minuto atrás de Webber, o que demonstra que o caminho será longo até o topo. Vitórias em 2010, só por conta do acaso. Confiabilidade ok. Nota 7

4) McLaren: A corrida de Hamilton foi surpreendente, acompanhando a Red Bull no começo da prova e ganhando a posição de Vettel nos boxes. Mas, nas últimas voltas, o pneu de Hamilton lançou pelos ares o bom resultado. Button empacou atrás de Schumi e perdeu boa chance de pódio. A confiabilidade segue sendo o ponto alto do time. Nota 8,5

5) Force India: O carro vem crescendo a cada prova, pena que somente nas mãos de Sutil. Mais seis pontos no mundial de construtores, onde se destaca como a sexta força. No entanto, não alcançou o Q3. Nota 7,5

6) Renault: Mais modesta que em outras provas. Kubica tocou em Kobayashi nas primeiras curvas, o que pode ter desalinhado seu R30. Já Petrov, mal na classificação e punido por trocar o câmbio, fez corrida de recuperação e quase pontua. Carro mostra performance. É destacada a quinta força do mundial. Nota 7

7) Williams: Muito bem com Rubens Barrichello, mau com Nico Hulkenberg. Falta performance ainda para brigar com Renault e Force India. Boa confiabilidade e mais dois pontos. Nota 6,5

Derek Warwick foi um dos fiscais do GP

8) Toro Rosso: Corrida repleta de incidentes, com punições a seus pilotos e quebra no carro de Buemi. Pelo menos Alguersuari catou um ponto. Tem uma boa dupla de pilotos e isso ajuda a maquiar os defeitos do carro. Nota 6

9) Sauber: Um pouco mais competitiva que em outros GPs, alcançou o Q3 com Kobayashi e De La Rosa passou perto. Mas incidentes na corrida atrasaram ambos os pilotos. Equipe suíça passa por dificuldades. Lembra ainda a antiga BMW no ano passado. Falta desempenho. Nota 5,5

10) Lotus: Melhor entre as três estreantes, ainda fica devendo uma boa performance. A melhor volta de Jarno Trulli foi mais de 5s pior que a de Hamilton. Já Kovalainen, nem largou. Confiabilidade ainda é um problema pra o time malaio. Nota 5

11) Virgin: Completou com os dois carros, mas andou sempre atrás da Lotus. Mesmo o novo carro, nas mãos de Glock, não ofereceu um ganho de performance. Nota 4

12) Hispania: Bruno Senna poderia ter aparecido bem, mas bateu logo na terceira curva. Chandhok tentou desviar dos carros mais rápidos e nem sempre foi possível. Atingido por Alguersuari, abandonou. Carro demonstra alguma evolução na confiabilidade. Nota 4

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s