Avaliações do GP da Malásia

Publicado: 09/04/2010 em Fórmula 1

Com ligeiro atraso, eis as minhas avaliações do GP da Malásia de Fórmula 1:

Carlos Sainz marcou presença no GP

1) Sebastian Vettel: Não liderou nenhum treino e perdeu a pole para a ousadia de seu companheiro, Mark Webber. Porém, na largada do GP, com pista seca, mostrou o talento de um futuro campeão. Controlou a corrida como quis e desta vez não quebrou. Já é vice-líder do mundial e grande favorito ao título. Nota 9,5

2) Mark Webber: Liderou a manhã de sábado, no seco, e cravou a pole com uma boa dose de ousadia no qualifying, quando optou por pneus intermediários numa pista molhada. Mas a largada não foi das melhores, perdendo ali a chance de vencer a prova. Novamente, fez a melhor volta do GP, assim como na Austrália. Nota 9

3) Nico Rosberg: Mais uma tocada consistente, se destacando, claro, por bater Michael Schumacher facilmente no duelo interno da Mercedes. Na largada, não pode conter o avanço de Vettel. Sabendo que não poderia brigar com as Red Bull, não se arriscou e garantiu seu terceiro pódio na carreira, o primeiro da Mercedes em 55 anos de F1. Nota 9

4) Robert Kubica: Desta vez sem chuva, mostrou que o ritmo de corrida do R30 da Renault é bom, mesmo. Mais uma boa largada, pulando de sexto para quarto. Não deu descanso para Rosberg em nenhum momento da prova, apesar de nunca chegar próximo para disputar a posição no pódio. Nota 9

5) Adrian Sutil: Mostrou velocidade no piso molhando, se classificando em quarto no sábado. Marcou o GP num belo duelo com Lewis Hamilton, barrando a reação do britânico, relembrando os duelos de ambos na Fórmula 3 Européia de 2005. Marcou seus primeiros 10 pontos na temporada, ultrapassando o companheiro de Force India, Vitantonio Liuzzi, na tabela de pontos. Mostrou potencial para andar na frente numa equipe de ponta. Nota 9

6) Lewis Hamilton: Dominou a sexta-feira e, junto da McLaren, errou no sábado. Na corrida, bela reação no começo da prova, mas perdeu muito em meu conceito após o zigue-zague à frente de Vitaly Petrov, da Renault. Merecia ser punido. Um dos campeões mais instáveis da história. Nota 8

O vencedor com seu troféu

7) Felipe Massa: A exemplo de Hamilton, foi prejudicado pelo erro estratégico de sua equipe, a Ferrari, no sábado. Novamente largou melhor que o parceiro Alonso. Ultrapassagem de gente grande sobre o atual campeão Jenson Button. Lidera o campeonato com justiça, apesar de ainda não ter vencido uma prova se quer. Nota 8,5

8) Jenson Button: Não pode reclamar da equipe por ter ficado fora do qualifying. Passou para o Q2, mas atolou seu McLaren na brita e por lá ficou, alinhando em 17º. Na corrida, jamais acompanhou o ritmo do companheiro Hamilton, mas se defendeu como pôde da dupla da Ferrari. O “x” em Alonso, na penúltima volta, em que pese as péssimas condições da Ferrari do asturiano, foi a prova de que, ao contrário do que muitos dizem, não é um campeão por acaso. Nota 8

9) Jaime Alguersuari: Arrojado e rápido, alcançou seus primeiros pontos na Fórmula 1. Já tinha batido na trave na Austrália, quando terminou em 11º lugar. A ultrapassagem em Nico Hulkenberg foi o ponto alto de sua corrida. Já incomoda Buemi no duelo interno da Toro Rosso. Nota 8,5

10) Nico Hulkenberg: Primeiro ponto somado na F1. Mas não largou bem e segue sem demonstrar um bom ritmo de corrida. Conquistou o quinto tempo no sábado, provando ser bom de chuva, o que já era evidente na GP2. Pela primeira vez no ano bateu Rubens Barrichello, vizinho de box da Williams. Nota 8

11) Sebastien Buemi: Boa ultrapassagem sobre Rubens Barrichello. No treino, superou Alguersuari em dois décimos, mas ficou sem pontos na prova. Fez a terceira melhor volta do GP, quase 2s mais rápida que a de seu parceiro espanhol. O toque com Kobayashi na largada o atrapalhou. Não é um gênio, mas dá trabalho. Terceira melhor volta no GP. Nota 8

12) Rubens Barrichello: O fato de ter ficado parado na hora da largada, prejudicou sua batalha por mais pontos na temporada. Tinha tudo para terminar entre os sete primeiros. Sua melhor volta no GP foi mais de 2s pior que a melhor passagem. Marcou sua prova por uma entrevista infeliz, onde chamou o modelo FW32 da Williams de “porcaria”. Nota 7

A dura realidade de Michael Schumacher

13) Fernando Alonso: Mesmo abandonando há duas voltas do final, foi classificado em 13º. Passou todo o GP as voltas com um problema no câmbio, que acabou detonando seu motor. No último gás do propulsor, mostrou garra ao tentar uma manobra difícil em Button, mas levou o “x” e abandonou metros depois. Foi superado por Massa na tabela de pontos e será interessante ver como vai reagir à pressão. Segunda melhor volta do GP, mesmo sem ter o carro em 100%. Nota 8,5

14) Lucas di Grassi: Completou em grande estilo sua primeira prova na Fórmula 1. Bateu Chandhok, Senna e Trulli, tomando “apenas” três voltas das Red Bull. O resultado ganha mais destaque ao verificar que o brasileiro partiu da última posição no grid. Ainda teve que poupar combustível nas voltas finais. Nota 8

15) Karun Chandhok: Surpreendeu mais uma vez ao colocar tempo em Senna no qualifying e andar à frente do brasileiro durante toda a corrida, além de sua volta ser cerca de 0,6s melhor que a de Senna. Vem fazendo mais do que era esperado. Nota 8

16) Bruno Senna: Enfim, completou seu primeiro GP. Colecionou quilometragem, o que é importante neste primeiro momento. Mas seu parceiro Chandhok, que tem menos tempo ainda no carro, já completou duas provas e vem andando mais rápido. Tudo bem que na turma lá de trás, os tempos de volta são sempre atrapalhados por conta de estarem a todo o momento abrindo para carros mais rápidos ultrapassarem. Porém, na F1 o que vale é o resultado final. Nota 7,5

17) Jarno Trulli: Foi tocado por Glock na segunda volta, o que deve ter desalinhado seu carro, pois andou todo o tempo atrás das HRTs. Ainda assim, completou mais um GP, o que mantém o foco na confiabilidade do carro, enquanto ganha quilometragem no modelo. Nota 7

18) Heikki Kovalainen: Mais lento que Trulli nos treinos livres, superou o italiano na sessão oficial e na corrida. Porém, quebrou a 10 voltas do fim. Errou ao ultrapassar Di Grassi, danificando os pneus traseiros, além de quebrar a asa dianteira do brasileiro. Não mereceu ser punido. Nota 7

Johnny Herbert foi comissário do GP

19) Vitaly Petrov: Continua levando muito tempo de Kubica, seu parceiro de Renault. Sua performance está longe da do polonês, num carro que está longe de ser fraco. Terceiro abandono do russo, mais uma vez num erro bobo. Resta saber até quando a Renault terá paciência com o piloto. Talvez enquanto durarem os 15 milhões de euros… Nota 6

20) Vitantonio Liuzzi: Um falha no acelerador abreviou sua corrida na 12ª volta. O italiano estava indo bem e provavelmente pontuaria, pulando de décimo para sétimo na largada. Vem fazendo um belo retorno à F1 como piloto titular. Nota 8

21) Michael Schumacher: Pulou para sexto na largada, mas segue distante de seu parceiro de Mercedes, Nico Rosberg. Desta vez, abandonou por uma quebra na roda traseira esquerda. Faria melhor se retornasse à condição de aposentado. Seu retorno é um dos maiores micos da história do automobilismo. Vamos ver até quando ele agüenta. Nota 7

22) Kamui Kobayashi: Limitado pelo fraco rendimento da Sauber, o japonês ainda sofreu uma quebra no problemático motor Ferrari na volta 8. Sua classificação ao Q3, no sábado, comprova sua velocidade. Nota 7,5

23) Timo Glock: Apenas duas voltas completadas, por conta de um toque com Jarno Trulli. Foi um pouco de irresponsabilidade do alemão, já que, no momento, deve priorizar mais completar as corridas do que tentar ultrapassagens sobre os rivais da Lotus. Avançou ao Q2 no aguaceiro de sábado, o que é sempre um mérito para um piloto da Virgin. Nota 6

24) Pedro de La Rosa: Nem pôde largar, com problemas no motor Ferrari na volta de aquecimento. Na sexta, perdeu para Kobayashi. Já no sábado, foi mais veloz que o parceiro de Sauber. Ainda é difícil julgar seu desempenho em 2010. Nota 6

—————————————————————————————————————————————————

Equipes:

Um fiscal de pista estranhamente fantasiado

Red Bull: Continua tendo o carro mais rápido do ano. Sua adaptação as diferentes condições de clima, sendo veloz no molhado e no seco, com pneus duros ou macios, intermediários e de chuva, faz do RB6 o favorito a levar a taça entre os construtores. Vettel está em estado de graça, o que ajuda na boa fase da equipe dos energéticos. Nota 9,5

Mercedes: Com Rosberg, segue alcançando resultados surpreendentes. Já com Schumacher, creio que um outro piloto mais jovem poderia trazer mais pontos pra casa. O carro é bom, mas ainda não atingiu seu limite. Deve evoluir e até vencer corridas em 2010, mas não brigará pelo título. Nota 8

Renault: Outra equipe que carece de um segundo piloto mais forte. Kubica vem tirando leite de pedra do R30, enquanto Petrov está devendo. Mas devemos destacar que, desta vez, o bom resultado do polonês veio devido as Ferrari e McLaren largarem de trás. Nota 8,5

Force India: Enfim, levou o ótimo Adrian Sutil aos pontos. E com um belo quinto lugar, o melhor resultado do time no ano. A quebra no carro de Liuzzi foi uma surpresa ruim, já que teria alcançado a zona de pontuação com os dois carros. Dupla competitiva vem ajudando os indianos a crescerem. Boa combinação de pilotos rápidos e consistentes. Nota 9

McLaren: Bem com Hamilton, menos bem com Button. A velocidade nas retas, por conta do F-Duct, impressiona. É praticamente impossível aos rivais pegar um vácuo de carona no MP4-25. Porém, o erro estratégico no sábado arruinou as chances de vitória de Hamilton, já que Button errou sozinho no Q1. Parece ter a melhor confiabilidade do grid atual. Nota 8

Ferrari: Um pouco abaixo da rival McLaren, a Scuderia padece da pouca confiabilidade dos motores, que na Malásia quebraram também na Sauber. A liderança de Massa me parece ocasional, bem como nos construtores os italianos só estão na dianteira por conta dos problemas da Red Bull nas duas provas anteriores. A trapalhada no treino oficial impediu um terceiro pódio consecutivo de Massa e uma maior folga na tabela de pilotos. Nota 7,5

A grid-girl de Vettel

Toro Rosso: Tem uma das duplas mais equivalentes do grid. Buemi e Alguersuari não tem medo de errar e demonstraram  isso com boas ultrapassagens sobre as Williams no GP. O espanhol, numa fase melhor, somou os primeiros pontos do time no ano. Num nível um pouco abaixo da Force India, pode continuar incomodando a Williams na luta para ser a sétima força da categoria. Nota 8

Williams: O ponto solitário de Hulkenberg foi uma justa premiação ao trabalho do time de Grove, principalmente no sábado, quando colocou os dois pilotos no Q3. Na largada, Rubinho ficou parado e “Hulk” despencou. Como já é de hábito, costuma perder performance ao longo do ano por falta de verba para o desenvolvimento do carro. Conta com o experiente Barrichello para reduzir as perdas. Nota 7

Virgin: Completou o GP com Di Grassi, o que já é uma evolução em termos de confiabilidade do VR-01. O abandono de Glock foi motivado por um acidente e não por uma quebra, o que é um alento. Sua melhor volta foi 6s mais lenta que a dos ponteiros, o que ainda demonstra um enorme abismo a ser reduzido. Porém, só completando as corridas para melhorar a performanece. O tanque de combustível continua sendo um problema, fazendo Di Grassi reduzir o ritmo nas voltas finais, quando poderia registrar voltas mais velozes. Nota 7

Hispania: Pela primeira vez completou um GP com seus dois pilotos. Chandhok é uma grata surpresa, superando Bruno Senna nos treinos e na corrida. Com voltas cerca de 8s mais lentas que as dos líderes, é inegável que se trata do carro mais lento do ano. Mas já foi pior e isso é um alento. Nota 6,5

Lotus: O carro é, sem dúvida, o mais rápido dentre as equipes novatas. Porém, Virgin e Hispania começam a se aproximar, levando seus pilotos a erros. Na atual situação, é importante completar as provas para, quem sabe, beliscar um pontinho em caso de uma prova acidentada. Seria lamentável perder pontos para essas duas rivais no atual estágio das relações de forças. Nota 6

Sauber: Quando parecia ter a chance de marcar os primeiros pontos de 2010, com Kamui Kobayashi e Pedro de La Rosa largando dos doze primeiros lugares, eis que o motor Ferrari deixa os suíços na mão. O espanhol nem chegou a largar, com o japonês desistindo depois de oito giros no circuito malaio. No seco, porém, o carro parece lento. Nota 5

Anúncios
comentários
  1. Luiz Sergio disse:

    Ylan, adorei suas avaliações, só faltou falar sobre a recuperação da posição contra o Lewis, foi muito bacana, um dos pontos altos da corrida e fez com que o Hamilton mostrasse mais uma vez que não mede as consequências pelos seu atos e conta com uma FIA omissa, suja, cega, etc…

  2. Luiz Sergio disse:

    Foi do piloto russo Petrov que eu escrevi.

  3. Trackback disse:

    Comentario…

    [..]Articulo Indexado Correctamente[..]…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s