Avaliações do GP do Bahrein

Publicado: 15/03/2010 em Fórmula 1

Segunda-feira pós GP é um bom dia para se debater sobre as corridas do fim de semana. Pensando assim, decidi que vou fazer avaliações dos pilotos e das equipes em todas as 19 etapas desta temporada da Fórmula 1.

Como diria Jorge Perlingeiro – locutor oficial das avaliações dos jurados no Carnaval do Rio de Janeiro – “eis as notas”:

GP do Bahrein – Avaliação

Pilotos:

1) Fernando Alonso: Apesar de ter levado quase 0,4s de Massa no treino oficial, mostrou porque é bicampeão ao ultrapassar o brasileiro na segunda curva, num golpe de mestre. A vitória veio devido à sorte, com o problema no Red Bull de Vettel. Vai lutar pelo tri. Nota: 9,5

2) Felipe Massa: Provou que pode ser mais rápido que Alonso no duelo interno da Ferrari em 2010. Admitiu a má largada e confessou que um superaquecimento em seu F10 aumentou o consumo de combustível, o que lhe impediu de brigar pela vitória. Nota: 9

3) Lewis Hamilton: Largada agressiva, mas perdeu a posição para Nico Rosberg, o que lhe roubou tempo na primeira metade da prova. No fim, recompensado com um merecido pódio. Nota: 8,5

4) Sebastian Vettel: Uma volta mágica no sábado e uma tocada consistente no domingo são marcas registradas de um futuro campeão mundial. Mas um problema no escapamento lhe roubou uma vitória certa. Assim como no ano passado, vai depender da confiabilidade de seu Red Bull para brigar pelo título. Nota: 9,5

5) Nico Rosberg: Boa largada, mas perdeu a posição para Hamilton nos pits. No final, não demonstrou bom ritmo para atacar o avariado Red Bull de Vettel. Pelo menos superou Schumacher. Nota: 7

6) Michael Schumacher: Para quem ficou três anos parado, o sexto lugar foi bastante promissor. Não foi jamais ameaçado pelo atual campeão Button, mas também não conseguiu atacar ninguém. Nota: 7,5

7) Jenson Button: Sua desculpa, de que poupou demais os pneus, até me convenceu. Agora, sabendo que pode atacar mais, vamos ver qual será sua postura para as próximas provas. Bom duelo com Webber, onde se saiu vencedor. Nota: 6,5

8) Mark Webber: Comparado a seu parceiro de Red Bull, pouco fez. Ainda perdeu a sétima posição para Button no pit-stop e ficou meio apagado. Porém, cravou a terceira melhor volta da prova. Nota: 6

9) Vitantonio Liuzzi: Outro que reestreou na F1 se destacando. Prova consistente e consciente. Soube se aproveitar do acidente de Sutil e Kubica, na primeira volta, que fatalmente terminariam a sua frente em condições normais. Sétima melhor volta da prova. Nota: 7

10) Rubens Barrichello: Voltou a ser coadjuvante, numa Fórmula 1 bem mais equilibrada que no ano passado. Arrancou um ponto para a Williams. Mas o principal a ser destacado foi o fato de ter superado o novato Hulkenberg, após andar atrás do alemão durante toda a sexta-feira. Nota: 7

11) Robert Kubica: Não fosse o enrrosco com Sutil na primeira volta, teria pontuado e, talvez, ameaçasse Button e Webber pelo sétimo posto. Provou que é rápido e que a Renault não está tão mal quanto parecia na pré-temporada. Nota: 7,5

12) Adrian Sutil: Assim como Kubica, reagiu após cair para o fundo do pelotão na primeira curva. Fez a segunda volta mais rápida da prova e mostrou que a Force India está pronta para pontuar bastante em 2010. Nota: 7

13) Jaime Alguersuari: Pouco apresentou, num fim de semana onde a Toro Rosso ficou claramente devendo performance. No sábado, parou no Q1. Pelo menos concluiu o percurso na volta do líder e fez o oitavo melhor giro do GP. Nota: 6

14) Nico Hulkenberg: Sexto mais rápido no primeiro dia de treinos, acabou sendo superado por Barrichello no sábado. Na corrida, errou sozinho nas primeiras voltas, pagando pelo noviciado e por tentar ser mais rápido do que seu carro pesado lhe permitia. Pelo menos mostrou que não veio para fazer figuração na F1. Nota: 6

15) Heikki Kovalainen: Foi o melhor dentre os pilotos das equipes estreantes. Ainda assim, levou uma ultrapassagem de Timo Glock no começo da prova. Tomar apenas uma volta dos ponteiros deve ter lhe dado particular gozo. Nota: 6,5

16) Sebastien Buemi: Não completou a prova, mas foi classificado a três voltas do vencedor. Assim como seu parceiro de Toro Rosso, apareceu pouco. Ao menos levou a equipe ao Q2. Nota: 6

17) Jarno Trulli: Também quebrou restando três voltas para o fim. Largou na frente do companheiro, comprovando sua fama de “leão de treinos”. Na corrida, porém, sua volta mais rápida foi 0,2s pior que a de Kovalainen, um eterno defeito do italiano. Nota: 5,5

18) Pedro de La Rosa: Não completou a prova por problemas mecânicos. Chegou a ultrapassar seu companheiro de Sauber, mas quando este já sofria dos mesmos problemas em seu carro. Nota: 5

19) Bruno Senna: Abandonou com 17 voltas, mas conseguiu melhorar seus tempos ao longo do fim de semana. Não terá vida fácil em 2010, pois está sentado no pior carro dos últimos anos da Fórmula 1. Nota: 7

20) Timo Glock: Boa manobra sobre Kovalainen no começo da prova. No fim das contas, não deu em nada, porque sua Virgin segue sendo o carro mais frágil do grid. Nota: 6

21) Vitaly Petrov: Estava num bom ritmo nas primeiras voltas, até quebrar por conta de uma falha na suspensão de seu Renault. Pode surpreender em algumas provas e até pontuar. Nota: 5

22) Kamui Kobayashi: Não mostrou a agressividade das duas etapas finais do ano passado, quando guiava pela Toyota. Porém, sua quebra mecânica logo no início impediu uma melhor avaliação. Nota: 5

23) Lucas di Grassi: Não pôde ir à pista na manhã de sábado, o que acabou se refletindo em mais de 0,5s para o parceiro de Virgin, Timo Glock, na classificação. Na corrida, largou bem, mas em três voltas quebrou. Nota: 5,5

24) Karun Chandhok: Coitado do indiano. Andou de F1 pela primeira vez no sábado, em plena classificação. Bateu na segunda volta e confessou não conhecer a nova parte da pista o suficiente, o que causou sua batida. Nota: 4

Equipes:

Ferrari: Carro rápido e consistente. Tem a dupla mais competitiva do grid e parece conseguir administrar bem, até o momento, o ego de seus dois corredores, ávidos por superar um ao outro. Nota 9,5

McLaren: Lento na classificação, com Hamilton, seu melhor piloto, levando mais de 1s de Vettel. Na corrida, teve seus dois pilotos presos atrás de carros mais lentos na primeira parte do GP. Parece gerir bem o desgastes de pneus, com Button declarando ao final da prova que poderia ter sido mais agressivo. Nota: 9

Mercedes GP: O carro é o menos competitivo dentre os quatro principais. Nico Rosberg em nenhum momento conseguiu fugir de Hamilton e Schumacher jamais atacou ninguém na prova. No final, não teve ritmo para superar o Red Bull de Vettel que não estava 100%. Nota: 7

Red Bull: Talvez, o carro mais veloz em classificação. Em conjunto com Vettel, pode conseguir o título. Mas a falta de confiabilidade é um problema que já acompanha o projeto desde o ano passado. Nota: 8,5

Force India: Aproveita-se da força do motor Mercedes para assumir o posto de equipe mediana na categoria. Vai lutar por pontos em todas as provas, mas sua dupla de pilotos ainda parece inconstante. Nota: 7

Williams: Passará mais uma temporada longe do pelotão da frente, mas pontuará com consistência. Principalmente porque tem uma dupla de pilotos que combina velocidade com experiência. O carro é razoável e nasceu com alguns problemas aerodinâmicos. Nota: 6

Renault: No nível de Williams e Force India e também é candidato a pontuar com freqüência. Parece ainda meio perdida com relação aos acertos. Depois de anos, parece finalmente se adaptar aos pneus da Bridgestone. Nota: 6

Toro Rosso: Lenta. Alguersuari fez companhia às três equipes novatas ao ser degolado na Q1. Parece ser a pior equipe com exceção às estreantes. Terão dificuldades nas primeiras corridas, mas dinheiro da matriz não vai faltar para evoluir. Nota: 4

Lotus: Boa surpresa. Tomou “apenas” uma volta dos ponteiros e demonstrou andamento consistente e alguma confiabilidade. Quebrou com Trulli no final. Nota: 5

Sauber: Uma dupla quebra frustrou os planos de seus pilotos. O carro parece mais lento do que na pré-temporada. Ainda é uma incógnita. Nota: 4,5

Hispania: Uma vergonha. O carro supera por pouco os melhores tempos da GP2. Pelo menos conseguiu melhorar os tempos, com Senna, ao longo do fim de semana. Promete evoluir em “alguns segundos” seu ritmo. É o mínimo que se espera. Caso contrário, melhor empacotar tudo e só voltar em 2011. Nota: 3

Virgin: No mesmo nível que a Lotus, mas sua confiabilidade é ridícula. Desde a pré-temporada, não passa um dia sem o famoso “problema hidráulico”. Nota 3,5

Anúncios
comentários
  1. Mark Webber merecia um baita zero. Com um carro muito mais superior que os outros, o cara não forçou nenhuma vez uma ultrapassagem. Nem sequer ensaiou uma manobra.

    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s