Arquivo de fevereiro, 2009

Na terra do jogo, a roleta vai girar. E o vencedor é...

A roleta vai girar: and the winner will be...

Neste fim de semana, a NASCAR Sprint Cup realizará a terceira etapa da temporada de 2009. E o palco de mais uma emocionante disputa será o Las Vegas Motor Speedway. O tri-oval de 1.5 milha, localizado na capital mundial do jogo, será o responsável por esvaziar os cassinos da cidade neste fim de semana.

Os 142 mil lugares deverão estar tomados pelo público, que prestigia a categoria por lá desde 1998, data da primeira corrida da divisão principal no oval. A pista tem características bastante especiais, com 20º de inclinação nas curvas e 9º nas retas.

Depois das vitórias de Matt Kenseth nas duas primeiras provas do ano, todos querem saber se o piloto do número 17 será capaz de conseguir uma inédita trifeta. Independente do vencedor, os espectadores podem ter a certeza de uma prova muito mais movimentada que a última, em Fontana, no oval da Califórnia.

No total, são previstas 267 voltas no domingo, o que representam 400,5 milhas. Carl Edwards, vencedor do ano passado, espera repetir o triunfo e incrementar sua posição no certame, já que ocupa a nona posição na tabela de pontos. Sua equipe, a Roush Fenway, venceu seis das 11 etapas já realizadas por lá. Sem dúvida, o piloto #99 é um dos favoritos.

Por outro lado, Jimmie Johnson, atual tricampeão da categoria, é o maior vencedor da história deste evento. São três conquistas, seguido de Jeff Burton e Matt Kenseth (2). Estão aí, portanto, mais três feras que não podem ser esquecidas quando o assunto é Las Vegas.

Carl Edwards venceu em 2008

Carl Edwards venceu em 2008

Um total de 51 pilotos lutarão por 43 vagas no grid. Até o momento, é a corrida com mais participantes inscritos, com exceção de Daytona, logicamente. Falando em recordes, é de Ricky Rudd a volta mais rápida em Las Vegas. Em 2000, o piloto cravou uma média horária de 172.563 mph. Já a corrida mais rápida aconteceu logo na estréia. Em 1998, Mark Martin venceu com média de 146.554 mph.

Entre as montadoras, a Ford foi a que mais venceu: seis vezes. Ela é seguida de perto pela Ford (4). Em 2002, Sterling Marlin foi o responsável pela única vitória da Dodge.

Uma curiosidade entre as performances dos pilotos diz respeito ao pole position. Em 11 anos de disputas, jamais venceu quem partiu da primeira posição. Carl Edwards, em 2008, quase conseguiu quebrar o tabu, mas largou de segundo. Já a recuperação mais fantástica coube a Matt Kenseth, que triunfou em 2004 começando de 25º lugar. Jeff Gordon, em 2001 – ano de seu tetracampeonato – venceu após largar de 24º. Curiosamente, este ainda é o número de seu carro.

Detalhes à parte, vale a pena ficar ligado para acompanhar a etapa de Las Vegas. O canal Speed trasmite ao vivo, no domingo (1), a partir das 18:30h.

Anúncios

Na surdina (parte 2)

Publicado: 28/02/2009 em Fórmula 1
Sebastian Vettel com o RB5 em Valência

Sebastian Vettel com o RB5 em Valência

Outra equipe que andou trabalhando às escondidas nesta semana foi a Red Bull. O time das bebidas energéticas foi até a pista de Valência, na Espanha, para testar seu novo modelo, o RB5. Além disso, a semana foi importante para Mark Webber voltar a se acostumar com um F1, após seu terrível acidente de bicicleta, onde quebrou a perna direita.

Já Sebastian Vettel, o outro piloto do time, trabalhou num bólido distinto, também projetado por Adrian Newey, para ser uma espécie de substituto do RB5. A RBR não divulgou detalhes dos trabalhos. Os tempos e as quantidades de voltas também não. A única coisa que disseram foi com respeito a confiabilidade do carro, que não teria apresentado falhas em nenhum dos quatro dias de ensaios na pista espanhola.

A nova pintura da Williams para 2009

A nova pintura da Williams para 2009

Enquanto isso, a Williams mostrou ao mundo a pintura definitiva do novo FW31, carro com o qual a equipe de Grove disputará o mundial de Fórmula 1 em 2009. Além das cores azul metálica e branca, o chassi apresentou duas hastes ao lado da proteção lateral dos pilotos. O acessório tem tudo para causar polêmica, uma vez que esses tipos de apêndices aerodinâmicos estão proibidos pelo regulamento técnico da categoria deste ano.

Vale lembrar que, recentemente, Toyota e a própria Williams viraram alvo de outras equipes por terem apresentado, em seus bólidos, difosores que estariam fora dos limites máximos permitidos. A FIA, no entanto, liberou o uso dos mesmos, julgando a novidade como uma ” interpretação inteligente do regulamento”.

Detalhes aerodinâmicos do F60

Detalhes aerodinâmicos do F60

Os testes coletivos da Fórmula 1 estão marcados para começar apenas no domingo (1), mas isso não significa que os times estão deitados em berços esplêndidos aguardando. A Ferrari, por exemplo, esteve no circuito de Vairano para fazer testes aerodinâmicos.

Como é comum nesta época do ano, a Ferrari aproveita diversas pistas na região da bota para aperfeiçoar seu modelo para o mundial. Com o piloto de testes, o italiano Luca Badoer, a Scuderia testou, sem grandes alardes, na reta de Vairano.

Estes trabalhos são extremamente importantes, uma vez que avaliam o que pode ser feito para melhorar o arrasto aerodinâmico, em diferentes velocidades, em linha reta.

Para se ter uma idéia de como isso afeta o rendimento de um bólido, é só lembrar da série de críticas que os dois últimos modelos da Honda recebiam de seus pilotos. Reclamavam que o carro parecia ter uma âncora quando aceleravam na reta. E não era um problema de motor, já que este era razoavelmente potente.

Já a Renault, realizou exaustivos testes de pit-stops em sua sede, em Enstone, na Inglaterra, durante a semana. Campeão em 2006 com a esquadra francesa, Fernando Alonso sabe bem o quão importante é uma parada nos boxes para se ganhar pontos preciosos na luta pelo título.

Bico arredondado: a Renault já alterou o R29

Bico arredondado: a Renault já alterou o R29

Lembre-se que no GP da Turquia daquele ano, prova a qual Massa registrou sua primeira vitória em GPs, o time francês foi mais esperto, numa entrada do Safety-Car, e conseguiu colocar Fernando entre o brasileiro e Schumacher. O que era pra ser uma dobradinha da Ferrari, se transformou num duro golpe na corrida do alemão em busca do oitavo título.

E, numa época de restrição de testes, qualquer esforço vale a pena para deixar tudo afiadinho. Quem quer lutar pelo título sabe que deve começar 100% desde o primeiro GP. Ninguém quer ficar pra trás num ano em que tantas novidades serão postas em prática. Depois, sempre é mais difícil correr atrás dos pontos perdidos no começo do ano.

Grid da GP2 vai tomando forma

Publicado: 28/02/2009 em GP2
Brasileiro correrá pela FMS em 2009

Brasileiro correrá pela FMS em 2009

Mais dois pilotos anunciaram nesta sexta-feira (27) aonde irão correr em 2009. Luiz Razia será mais um brasileiro a compor o grid da GP2. Vai pilotar pela Fisichella Motorsport e ser companheiro do austríaco Andreas Zuber.

O baiano teve como melhor resultado em sua carreira o título da Fórmula 3 Sul-Americana, em 2006. Passou dois anos correndo na F-3000 Internacional e realizou algumas etapas na série asiática da GP2. Vai fazer sua estréia na divisão principal. Zuber, seu parceiro, é bastante experiente, mas está longe de ser considerado um piloto imbatível.

Já pelos lados da Barwa Addax (antiga Campos Racing), Romain Grosjean assume a vaga deixada por Lucas di Grassi. É uma grande oportunidade para o piloto franco-suíço lutar pelo título e comprovar todas as expectativas que a Renault deposita nele. Pode se transformar, inclusive, numa grande ameaça à vaga de Nelsinho Piquet na Fórmula 1.

Grosjean tem mais uma chance para mostrar seu valor

Grosjean: mais uma chance para mostrar seu valor

É importante dizer que sua equipe conquistou o título entre as equipes em 2008 e ofereceu um bólido muito competitivo a Di Grassi. Tanto que o brasileiro foi  o piloto que mais pontos marcou no campeonato desde o momento em que reestreou na categoria.

O companheiro de Grosjean será o russo Vitaly Petrov, que já corria no time em 2008.

Di Grassi foca no título da GP2 buscando promoção para 2010

Lucas: título da GP2 para chegar à F1 em 2010

Agora é definitivo. Depois de ver seu nome incluído em diversos boatos de pré-temporada, Lucas di Grassi, enfim, resolveu sua vida para a temporada 2009. Será piloto da Racing Engineering na GP2.

Sim. Pelo quarto ano consecutivo, o brasileiro irá compor os grids da principal categoria de acesso à Fórmula 1. Depois de conquistar o vice-campeonato em 2007 e ser o terceiro em 2008, Lucas foca no título deste ano como única forma de alcançar vôos mais altos na carreira.

Trata-se de um dos melhores pilotos desta nova geração de brasileiros. Mas, infelizmente, ainda não conseguiu se firmar na Fórmula 1, mesmo após testar para Renault e Honda. É fato que a concorrência com sobrenomes de peso, como Piquet e Senna, vem atrapalhando sua caminhada, bem como a crise ecônomica mundial.

No entanto, esta é sua grande oportunidade. A Racing Engineering fez o campeão no ano passado (Giorgio Pantano) e deve estar novamente competitiva em 09.

Di Grassi tem a mão do carro da GP2. Em 2006, apareceu muito bem com a Durango. No ano seguinte, foi vice-campeão com a ART e, em 2008, só entrou no campeonato após 6 corridas disputadas e, ainda assim, foi o piloto que mais pontos somou daí em diante, correndo pela Campos Racing. Cumprindo seu papel, dificilmente deixará de ter a chance de estar na Fórmula 1 em 2010.

Porém, se isso não acontecer, é bom saber que Lucas está aberto a outras opções. A Fórmula Indy, bem como a Le Mans Series, são lembradas pelo piloto numa entrevista concedida ao site Tazio, nesta quinta-feira (26).

Dani Clos: companheiro de Lucas em 2009

Clos: companheiro de Lucas em 2009

Di Grassi será companheiro do espanhol Dani Clos. Provavelmente, levará ampla vantagem sobre o novato. Arrisco a dizer que o brasileiro é o grande favorito ao campeonato e que qualquer resultado diferente deste será uma tremenda zebra.

Certeza mesmo, só existe uma: este será um ano decisivo para as pretensões do piloto. Alguns maus resultados podem fazer com que as principais categorias de monopostos do mundo comecem a se esquecer de Lucas. Afinal, a cada ano novos pilotos aparecem e as apostas se renovam.

Melandri testa Kawasaki

Melandri testa Kawasaki

A decisão pegou a todos de surpresa. Depois de anunciar sua retirada do mundial de MotoGP no final do ano passado, a Kawasaki repensou a decisão e manterá a equipe em 2009. No entanto, correrão apenas com uma moto, que será pilotada pelo italiano Marco Melandri. O norte-americano John Hopkins ficou de fora dos planos e ainda não sabe o que fazer neste ano.

Melandri, que já estava se acostumando com a idéia de correr na SpeedCar, tem mais uma chance de se manter na elite do motociclismo mundial. Vice-campeão em 2005 da categoria máxima, o piloto viveu uma temporada apagadíssima em 2008, quando foi companheiro do australiano Casey Stoner na Ducati e jamais apresentou uma performance competitiva, quase sempre andando no fundo do grid, enquanto Stoner duelava pelo título contra Valentino Rossi.

Marco Melandri

Marco Melandri

Falando em performance, díficilmente a Kawasaki conseguirá deixar a lanterna entre as montadoras. Yamaha, Ducati e Honda seguem como favoritas, sendo que a Suzuki parece ter evoluido bastante e até liderado um dia dos testes de Sepang, na Malásia, no início do mês, com Loris Capirossi.

A pergunta é: será este o ponto de partida para a Kawasaki retomar o caminho das vitórias ou se trata apenas do último suspiro da tradicional montadora no certame?

Make Cars Green

Publicado: 26/02/2009 em Fórmula 1
Kasuki Nakajima em Jerez de la Frontera

Kazuki Nakajima em Jerez de la Frontera

A Bridgestone divulgou, por meio de comunidado oficial, como serão diferenciados os pneus mais macios em fins de semana de Grandes Prêmios, na temporada de 2009 da Fórmula 1.

Como se nota na foto ao lado, a solução já vinha sendo testada desde os testes no Algarve, em Portugal, no mês passado. A linha verde na banda lateral não tem essa cor por acaso. Esta é uma forma que a fabricante nipônica encontrou para apoiar a campanha ecológica da FIA, intitulada “Make Cars Green”.

Mas não foi só isso. A Bridgestone também se adiantou e divulgou os compostos que serão levados aos cinco primeiros GPs do ano. Nas etapas da Austrália, China e Bahrein, os times terão à disposição os modelos supermacios e médios. Já nas provas da Malásia e Espanha, a fornecedora oferecerá os compostos macios e duros.

Como se nota, haverá uma maior variação em 2009. Se no ano passado a Bridgestone levava sempre pneus de dureza próxima (1 e 2; 2 e 3 ou 3 e 4), agora a idéia é outra. Para aumentar a diversidade de rendimento e durabilidade dos compostos, os japoneses optam por levar unidades com uma maior amplitude na escala (1 e 3; 2 e 4).

“Temos um pneu que aquece rápido e entrega voltas lançadas em poucas passagens, além de outros que apresentam durabilidade e constância maiores”, cravou Hirohide Hamashima, chefe da marca.

Particularmente, acho interessante a medida. Em 2008, não tínhamos grandes diferenças entre os compostos duros e macios em cada GP. Agora, será diferente. Pilotos que dominam uma corrida, podem ser acossados nas últimas voltas caso o composto utilizado no stint final não apresente um rendimento tão bom quanto ao de seu adversário, desde que a estratégia entre ambos seja diferente. Ou seja, promessa de disputas até a última volta.

Fotos: a quarta em Homestead

Publicado: 26/02/2009 em Fotos

Briscoe fecha teste na dianteira

Publicado: 26/02/2009 em Indy
Briscoe superou Dixon em Miami

Briscoe superou Dixon em Miami

O australiano Ryan Briscoe, da Penske, foi o mais rápido do último dia de testes coletivos da Fórmula Indy, realizados nesta quarta-feira (25), em Homestead. O piloto superou o atual campeão da categoria, Scott Dixon, segundo colocado, em quase 0,04s.

Representantes da AGR, Marco Andretti e Tony Kanaan vieram na seqüência, em terceiro e quarto respectivamente. Dario Franchitti, parceiro de Dixon na Ganassi, fechou os cinco primeiros.

Mais uma vez, o brasileiro Mario Moraes se destacou. Com o equipamento da KV, foi o sexto mais rápido, após totalizar 265 voltas. O ex-piloto da Dale Coyne superou, inclusive, o australiano Will Power (7º), da poderosa Penske.

Entre os demais brasileiros, Vitor Meira ficou em 13º, Raphael Matos em 18º e Jaime Câmara em 20º.

Confira os tempos de Miami:

1°. Ryan Briscoe (AUS/Penske), 25s1984 (214 voltas)
2°. Scott Dixon (NZL/Ganassi), a 0s0394 (282)
3°. Marco Andretti (EUA/Andretti-Green), a 0s1052 (212)
4°. Tony Kanaan (BRA/Andretti-Green), a 0s1598 (199)
5°. Dario Franchitti (ESC/Ganassi), a 0s1858 (240)
6°. Mario Moraes (BRA/KV), a 0s1858 (265)
7°. Will Power (AUS/Penske), a 0s1930 (248)
8°. Dan Wheldon (ING/Panther), a 0s2101 (115)
9°. Mike Conway (ING/Dreyer & Reinbold), a 0s2315 (276)
10°. Graham Rahal (EUA/Newman-Haas-Lanigan), a 0s3093 (229)
11°. Hideki Mutoh (JAP/Andretti-Green), a 0s2594 (224)
12°. Robert Doornbos (HOL/Newman-Haas-Lanigan), a 0s3093 (256)
13°. Vitor Meira (BRA/Foyt), a 0s3226 (219)
14°. Ernesto Viso (VEN/HVM), a 0s3372 (130)
15°. Danica Patrick (EUA/Andretti-Green), a 0s3399 (231)
16°. Milka Duno (VEN/Newman-Haas-Lanigan), a 0s3825 (222)
17º. Ed Carpenter (EUA/Vision), a 0s3897 (247)
18º. Raphael Matos (BRA/Luczo Dragon), a 0s4181 (247)
19°. Justin Wilson (ING/Dale Coyne), a 0s4902 (259)
20°. Jaime Câmara (BRA/Conquest), a 0s5806 (161)
21°. Stanton Barrett (EUA/3G), a 0s7196 (208)

Christodoulou superou os pilotos da favorita Carlin

Christodoulou superou os pilotos da favorita Carlin

A terça-feira (24) também marcou o primeiro dia de testes coletivos da Fórmula 3 Inglesa em 2009. Pilotos e equipes se reuniram na pista de Snettertone, na Inglaterra. Entre eles, dois brasileiros: Adriano Buzaid e Victor Correa.

A equipe Fortec, com o britânico Riki Christodoulou, liderou a tabela de tempos, mas foi a Carlin Motorsport, atual campeã, que se destacou. Com os novos motores Volkswagen, o tradicional time colocou quatro pilotos entre os seis mais rápidos.

Estreando na categoria, Daisuki Nakajima, irmão do piloto da Williams de Fórmula 1, Kasuki, treinou num carro da Räikkönen Robertson Racing e registrou o pior tempo dos 15 corredores presentes no ensaio.

Entre os brasileiros, Buzaid (8º) superou Correa (14º). A temporada tem seu início previsto para o dia 13 de abril, no circuito de Oulton Park.

Confira os tempos:

1º Riki Christodoulou/GB, Fortec Dallara-Mercedes, 1m 00.850s

2º Max Chilton/GB, Carlin Dallara-Volkswagen, 1m 01.370s

3º Walter Grubmüller/A, Hitech Dallara-Mercedes, 1m 01.493s

4º Henry Arundel/GB, Carlin Dallara-Volkswagen, 1m 01.511s

5º Daniel Ricciardo/AUS, Carlin Dallara-Volkswagen, 1m 01.519s

6º Oliver Oakes/GB, Carlin Dallara-Volkswagen, 1m 01.537s

7º Daniel McKenzie/GB, Fortec Dallara-Mugen Honda, 1m 01.939s

8º Adriano Buzaid/BR, T-Sport Dallara-Volkswagen, 1m 02.104s

9º Carlos Huertas/COL, RRR Dallara-Mercedes, 1m 02.119s

10º Wayne Boyd/GB, T-Sport Dallara-Volkswagen, 1m 02.295s

11º Victor Garcia/ESP, Fortec Dallara-Mercedes, 1m 02.419s

12º Hywel Lloyd/GB, CF Racing Dallara-Mugen Honda, 1m 02.545s

13º Stéphane Richelmi/MON, Barazi-Epsilon Dallara-Mercedes, 1m 02.691s

14º Victor Correa/Litespeed-Mugen Honda, 1m 03.975s

15º Daisuke Nakajima/ RRR Dallara-Mercedes, 1m 05.532s

No link abaixo, confira mais um dia de testes da F-Indy, direto do site oficial da categoria:

http://www.indycar.com/videoplayer.php?dTiming=true

Vídeo: expectativa pré-temporada

Publicado: 25/02/2009 em Vídeos

Os dois vídeos abaixo estão em inglês, traduzidos por uma equipe italiana. Mas é possível entender perfeitamente as entrevistas. Os principais pilotos da IndyCar falam sobre suas expectativas antes do início dos testes de pré-temporada, em Homestead. Confira:

Fotos: a terça-feira em Miami

Publicado: 25/02/2009 em Fotos

Indy Lights também testou em Miami

Publicado: 25/02/2009 em Indy

A Indy Lights também testou em Miami, na pista de Homestead. Os trabalhos aconteceram na segunda (23) e terça (24). No primeiro dia, apenas os novatos (rookies) foram à pista. Confira abaixo os tempos combinados:

testlight

Dixon lidera testes; Moraes em 4º

Publicado: 25/02/2009 em Indy
Dixon mostrou superioridade em Homestead

Dixon mostrou superioridade em Homestead

Os testes da F-Indy começaram nesta terça-feira (24) e, a primeira vista, Scott Dixon segue sobrando no pelotão. Após conquistar o bicampeonato da categoria máxima de monopostos dos EUA em 2008, o neo-zelandês cravou sua melhor volta numa média horária de 211.372 mph.

O oval de Homestead, em Miami, recebe as primeiras atividades da Indy desde a decisão do campeonato do ano anterior, o GP de Chicago, vencido por Helio Castroneves, da Penske, que enfrenta problemas com a justiça norte-americana e ficará de fora do campeonato deste ano.

Mas sua ex-equipe parece manter a boa forma, pois Ryan Briscoe registrou a segunda melhor passagem, superando o campeão de 2007, Dario Franchitti, terceiro colocado.

Destaque para a performance do brasileiro Mario Moraes, que defenderá a KV, após deixar a Dale Coyne no ano passado. Ele conseguiu o quarto posto, suplantando, inclusive, o substituto de Helinho na Penske, o australiano Will Power (5º).

Entre os demais brasileiros, Tony Kanaan ficou em oitavo, Raphael Matos em 11º, Jaime Câmara em 17º e Vitor Meira foi o 18º. Os trabalhos continuam nesta quarta.

Confira os tempos:

1º. Scott Dixon (NZL/Ganassi), 211,372
2º. Ryan Briscoe (AUS/Penske), 210,793
3º. Dario Franchitti (ESC/Ganassi), 210,603
4º. Mário Moraes (BRA/KV), 210,151
5º. Will Power (AUS/Penske), 210,138
6º. Marco Andretti (EUA/Andretti-Green), 209,696
7º. Robert Doornbos (HOL/Newman-Haas-Lanigan), 209,584
8º. Tony Kanaan (BRA/Andretti-Green), 209,067
9º. Graham Rahal (EUA/Newman-Haas-Lanigan), 208,802
10º. Danica Patrick (EUA/Andretti-Green), 208,720
11º. Raphael Matos (BRA/Luczo Dragon), 208,694
12º. Ed Carpenter (EUA/Vision), 208,672
13º. Ernesto Viso (VEN/HVM), 208,637
14º. Mike Conway (ING/Dreyer & Reinbold), 208,568
15º. Hideki Mutoh (JAP/Andretti-Green), 208,029
16º. Milka Duno (VEN/Newman-Haas-Lanigan), 207,403
17º. Jaime Câmara (BRA/Conquest), 207,378
18º. Vitor Meira (BRA/Foyt), 207,184
19º. Justin Wilson (ING/Dale Coyne), 206,843
20º. Stanton Barrett (EUA/3G), 205,834

Max Mosley e suas 12 equipes

Publicado: 24/02/2009 em Fórmula 1
Os donos da USF1: equipe entra na F1 já em 2010

Os donos da USF1: time entra na F1 já em 2010

O presidente da FIA, Max Mosley, falou e ninguém levou a sério. “A Fórmula 1 terá 12 equipes num futuro próximo”.

Natural que pixassem o coroa. Afinal, a categoria rainha do automobilismo mundial não passou incólume à recente crise financeira mundial.

Tampouco conseguiu, até o presente momento, arrumar um comprador para os espólios da Honda, o que levaria o GP da Austrália, prova de abertura do mundial 2009, a ter somente 18 carros no grid.

Mas o tempo passa e a Fórmula 1 continua a me surpreender. Negativamente, às vezes. Porém, não foi esse o caso. Com o lançamento da USF1, na Carolina do Norte, nesta terça-feira (24), o certame já pode se orgulhar em aglutinar 10 times para as competições do ano que vem.

Além disso, o bilionário Tony Teixeira, dono e um dos idealizadores da A1GP, veio a público dizer que pretende criar uma equipe de Fórmula 1. Sonha em dar vagas nos seus cockpits aos campeões do campeonato de países.

Ainda que também tenha cuspido fogo contra Bernie Ecclestone, dizendo que o chefão da F1 copia sua idéias, o sul-africano – radicado em Portugal – já anunciou a compra de um enorme terreno perto do Autódromo Internacional do Algarve, onde, segundo ele, ficará a sede e a fábrica do futuro time.

Dono da A1GP pretende montar equipe na F1

Dono da A1GP pretende montar equipe na F1

A isso tudo, some a Honda. Com a ajuda de Ecclestone, Mosley e uma ou outra montadora (a Mercedes é a mais cotada) devem arrumar um comprador para o esqueleto da equipe, baseada em Brackley, na Inglaterra. Nos últimos dias, a empresa Virgin, de Richard Bronson, demonstrou interesse e, até o momento, é o boato mais forte que já correu sobre esse assunto.

Eddie Jordan, ex-dono da equipe que levava seu nome, não titubeou: “Eu tenho certeza de que eles encontraram alguma coisa. Se não for Richard Branson, serão outros (compradores)”, disse.

Com essas duas novas equipes, mais a aquisição da Honda por parte de um outro grupo qualquer, a Fórmula 1 poderá esnobar a todos que riram de suas desgraças e alinhar um pomposo grid com 24 carros e doze equipes já em 2010.

Bernie Ecclestone e Max Mosley conseguirão, enfim, ocupar as garagens de seus circuitos com o limite máximo de uma dúzia de times, o que jamais se viu desde a implementação da regra em 1998.

Será que chegarão lá, ou tudo isso não passa de uma fantasia carnavalesca?

No link abaixo, o internauta pode obter imagens ao vivo do oval de Homestead, em Miami, onde acontecem os primeiros testes da temporada de 2009 da Fórmula Indy. Para quem tem internet Banda Larga, a qualidade é excelente, sem travamentos e imagem nítida. Tem chat com os fãs e o live-timing ao lado. Acompanhe:

http://www.indycar.com/videoplayer.php?dTiming=true

Fotos: o domingo em Fontana

Publicado: 23/02/2009 em Fotos

O vídeo abaixo retrata os lances capitais das 500 milhas de Fontana, disputada neste domingo (22), na Califórnia. A largada, a ultrapassagem de Gordon em Kenseth e a trapalhada de Biffle nos boxes são os pontos altos. Confira:

Mercedes quer Vettel na McLaren

Publicado: 23/02/2009 em Fórmula 1
Haug e Vettel conversam em 2008

Haug e Vettel conversam em 2008

Norbert Haug, diretor esportivo da Mercedes na Fórmula 1, cantou a pedra neste fim de semana. A McLaren terá um piloto alemão nos próximos anos. E o “escolhido” pela cúpula germânica é Sebastian Vettel, que inicia 2009 com um contrato de dois anos pela Red Bull.

Curiosamente, na semana passada, o time das bebidas energéticas veio a público, sem mais nem menos, dizer que não impediria seu piloto de se transferir para uma equipe de ponta, caso não consigam oferecer um carro vencedor já nesta temporada. Juntando-se as peças, o quebra-cabeça começa a fazer sentido…

No final de 2007, com a briga de Fernando Alonso com a McLaren, especulou-se que Nico Rosberg pudesse formar dupla com Lewis Hamilton a partir do ano seguinte. Adrian Sutil, recém-chegado à categoria, também foi apontado para o lugar do asturiano. Ambos são amigos pessoais do britânico e, talvez por isso, as negociações não tenham ido adiante.

Então, Heikki Kovalainen foi escolhido. Notadamente para amenizar o clima hostil na escuderia, o finlandês veio para fazer o papel do segundo piloto. Abnegado, pouco competitivo e sem entrar em confronto com o protegido, não só do time, mas do chefão Ron Dennis.

Hekki Kovalainen: dias contados em Woking?

Kovalainen: dias contados em Woking?

Ao final da temporada, Hamilton conquistou o título, mas a McLaren percebeu que, para bater a Ferrari no mundial de construtores, precisará de um outro piloto que lute por vitórias. E Heikki, claramente, não é considerado um vencedor de GPs, ainda.

Em janeiro, no lançamento do MP4-24, carro com o qual a McLaren tentará o primeiro título de construtores desde 1998, Ron Dennis, há quase 30 anos no comando do time, anunciou que deixará essa atividade em 2009. Mais precisamente no dia 1º de março, um mês antes do início do mundial. Para seu lugar, o CEO Martin Withmarsh será o responsável pelas operações em pista daí em diante.

Essa modificação também ajuda a explicar a nova postura da equipe e, principalmente da Mercedes, sua parceira e fornecedora de motores desde 1995. Fica evidente que a tendência é a montadora alemã aumentar sua parcela de participação no time inglês. Assim, é natural que os pilotos tedescos ganhem espaço por lá. E o melhor deles na atualidade chama-se Sebastian Vettel.

Norbert Haug não pretende cometer os mesmos erros da rival BMW, que tinha o passe de Vettel e o perdeu para a Red Bull. Ao mesmo tempo, Lewis Hamilton não é totalmente confiável. Jogou fora um campeonato ganho (2007) e quase repete o fiasco no ano seguinte.

A temporada de 2009 parece ser decisiva, tanto para Kovalainen quanto para Hamilton. O primeiro terá de mostrar muito talento, além de resultados consistentes, para tirar da cabeça da cúpula da equipe a idéia de substituí-lo.

Já o segundo, se quiser continuar reinando em Woking, terá que cometer menos erros e repetir o título. Qualquer resultado diferente deste pode representar novos rumos (e capacetes) nos bólidos prateados já em 2010.